sábado, 2 de julho de 2016

NÃO REALIZOU NENHUM SINAL

Parece que estou vivendo um tempo que ocorreu há mais de dois mil anos atrás.

Um homem, humilde, escolheu viver sem medo de denunciar o pecado, e a convidar aqueles que o ouviam para que fizessem um caminho reto no deserto, e muitas vezes ele mesmo se encontrava no próprio deserto abandonado por muitos. Mas, ele seguia cheio do Espírito Santo, sem realizar nenhum milagre, nem prodígios que enchessem os olhos.

Refletindo nele, em sua vida, uma coisa em especial me chamou a atenção. A pessoas vendo a sabedoria de suas palavras e tudo quanto realizava concluíram: “Embora João nunca tenha realizado um sinal miraculoso, tudo o que ele disse a respeito deste homem (Jesus) era verdade” (Jo 10.41).

Bom, percebo que é perfeitamente possível se ter muitos sinais e milagres e, mas o mais perigoso ao mesmo tempo, distorcer a Palavra de Deus, criando fábulas e mentiras para enganar, obter reconhecimento, aplausos, fama, sucesso e dinheiro. Isso lembra uma advertência de Cristo: “Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’ Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!” (Mt 7:22-23).

A maior virtude desse homem chamado João Batista, que tenho o imenso prazer de percebe-lo na vida de pessoas especiais hoje em minha vida, foi falar a verdade sobre Jesus. Batista, no caso, ganhou com isso a prisão e a cabeça cortada. Pregar a verdade de Deus e denunciar a injustiça pode ser perigoso. Pode-se sim escolher ficar com showzinhos gospel, arrepios na espinha, sentimentalismo barato e busca mesquinha por sinais e milagres que alimentam o ego e a vaidade. Isso traz um conforto e um sentimento de estar servindo a Deus, isso é o que importa não é mesmo? Ah é é provável que tenhamos igrejas cheias e ninguém jamais vai pedir a nossa cabeça por isso.

Assim os valores se distorcem e se encobrem pela fantasia dos números, das multidões. Lembro que Paulo diz diante de sua dificuldade de anunciar a verdade, que não havia batizado muitos, talvez umas quatro ou cinco pessoas. Por um lado me entristeço, mas por outro lado me alegro de poder conhecer e até mesmo viver em partes essa história de João Batista. E se as pessoas continuarem visando valores em números e quantias imagino como ficará em meio a crise? Será que as "bênçãos" e as "maravilhas" irão custar mais caras? Ou acabarão os atrativos?

Ele não realizou NENHUM sinal, NENHUMA maravilha, NENHUM Show, mas tudo que ele dizia de Jesus era verdade. E Jesus reconheceu o seu valor.

Eu acredito no valor e na importância dessas vozes que ainda clamam no deserto em nossos dias: "Preparai um caminho reto no deserto." isaías 40... 


Jackeline Matos
jackelinematos.blogspot.com.br


"Para publicar com voz de louvor, e compartilhar todas as Tuas maravilhas." Salmos 26:7