terça-feira, 22 de novembro de 2011

FAMÍLIA: " O AMOR JAMAIS ACABA" (1 Cor 13:8)


Escolhido o tema para nosso encontro de família ... "O amor jamais acaba"  1Cor 13:8
Hoje compartilho um testemunho que recebi do O Semeador, relatando uma parte da história de uma família. Enquanto você lê o testemunho abaixo, escute essa canção, Bendita será tua casa / Toque no Altar.
Deus Abençoe!

Jackeline Matos



                   
Testemunho:                                     
"Minha família é constituída por cinco pessoas: meu pai, minha mãe, meus dois irmãos e eu.Aparentemente, poderíamos ser considerados uma família bem estruturada, sem muitos problemas, nem dificuldades. Recebíamos muitos elogios por parte de vizinhos e parentes mais distantes pois conseguíamos passar a impressão da boa família, unida e amorosa. Mas nós sabíamos que a realidade não era bem assim.

No relacionamento cotidiano, pouco nos falávamos ou tínhamos momentos juntos. Nunca saíamos. Nem para um simples jantar. Meus irmãos brigavam muito entre si, de tal modo que, chegavam até mesmo a sérias agressões físicas. Havia épocas em que eles passavam mais de um ano sem trocar uma palavra. Eu, como era o mais novo, era induzido por cada um, a fazer algo que prejudicasse o outro. Cheguei até mesmo a avançar com uma faca a um deles a pedido do outro.

Eu deveria ter uns 7 anos de idade quando a situação se agravou. Meu irmão mais velho começou a beber e a ficar agressivo, nos ameassava com faca quando nosso pai não estava em casa. Eu e meu outro irmão nos escondiamos trancados no quarto porque ele ficava completamente transtornado e já não sabiamos mais o que fazer.Até que um dia a noite, no mesmo dia de um dos acontecimentos terríveis, quando meu irmão voltou para casa, meu pai o imobilizou e atou suas mãos. Trancados no quarto, pude ouvir que eles conversavam. Talvez uma bela bronca. Pensamos em chamar a polícia, mas preferimos chamar uma amiga do meu irmão que era evangélica da qual ele gostava muito. Ela veio tentar acalmá-lo, e vimos ele chorar muito enquanto ela conversava com ele.

Passado esse transtorno, desenvolvi uma aversão ao meu irmão incontrolável. Tinha medo dele. Muito medo. Não conseguia ficar em um mesmo cômodo com ele. Alguns meses depois, ele foi para Brasília-DF e lá passou alguns anos. Ele foi morar na casa de um tio. Foi ali que meu irmão encontrou uma saída para seus problemas. Por telefone, podíamos perceber que uma mudança acontecera, e ele nos contou que estava indo a igreja com nosso tio.

Quando ele voltou, percebi que já não tinha mais aquele pavor que sentia por ele. Voltamos a desenvolver uma relação fraternal. Aos poucos, até meu outro irmão voltou a falar com ele, pois, a mudança era tão real que não havia nem vestígios do que ele fora no passado.

Passamos a nos simpatizar com o meio evangélico, mas nunca havíamos tomado uma decisão concreta. Falávamos de Jesus mas não O vivíamos.

Em março de 2006, eu, meu pai e minha mãe fomos a uma igreja evangélica perto de nossa casa. Não comentávamos nada sobre o confessar Jesus, mas sabíamos que era isso que deveríamos fazer. No momento do apelo, meus pais foram com certeza do que estavam fazendo e foram à frente. Eu hesitei. Vieram à minha mente o "sou jovem demais", o "o que vão pensar de mim?" e todos esses pensamentos que, por mais que pareçam bobos, são letais para o espírito.

Fui. Estava lá na frente. Fiz a melhor escolha da minha vida!

E a partir daí, aquilo que eu pensava que iria ser muito difícil como mudar minhas atitudes e comportamentos ou como explicar para os outros, tudo isso ocorreu da forma mais natural possível. Além disso, encontrei uma família que não vive em casa, nem no templo, mas vive em meu coração.  Pois não vivemos uma religiosidade. Mas acima de tudo, encontrei um Pai perfeito que tem planos perfeitos para mim e para minha família.

Hoje não somos nem sombra do que éramos antigamente. Agora posso dizer que nossa família não aparenta ser uma boa família mas É uma ÓTIMA família, não somos perfeitos mas aprendemos a cada dia sobre esse amor que jamais acaba. Hoje quem faz parte dela é nada menos que o Senhor dos senhores e Rei dos reis: JESUS!"
(O Semeador)